domingo, 11 de novembro de 2012

Não acreditas em mim?

Não acreditas em mim?
Então fecha os olhos
E ouve a canção do mar
Imagina ser marinheiro
Finge ser pirata
E descobre mil tesouros
Repletos de ouro e prata.

Não acreditas em mim?
Observa as gaivotas,
Vê como rasgam o céu
Embaladas plo vento.
Sonha voar como elas,
Deixa que a brisa te beije o rosto,
E mergulha no fogo do sol posto.

Não acreditas em mim?
Sente o aroma salgado das águas,
Ouve o murmúrio das ondas
Que sedentas de saudade 
Abraçam as areias da praia
E partem de novo para alto mar
Só para terem o prazer de regressar.

Não acreditas em mim?
Caminha no areal
Sente o chão fugir debaixo dos teus pés
Descobre que a areia que pisas
Outrora foi rocha
Que sucumbiu à fúria das marés!

Não acreditas em mim?
Abre os olhos,
Entrega-te aos braços do mar
Deixa que as suas águas te salguem a vida,
Permite que o vento te toque.
Aprende com ele a voar
Regressa com as ondas
As areias serão teu chão
E os céus nunca serão teu limite.

Agora que sabes o que é ter saudade,
Agora que conheces o dom da liberdade,
Eu pergunto:
Acreditas em mim?



                                 (imagem do google)

2 comentários: